Segunda-feira, 16 de Maio de 2005

Encharcada ou charcada

encharcada.JPG

( foto do restaurante Aqueduto, em Évora )


Para os muito gulosos, que não têm problemas hepáticos!

É um doce muito apreciado, mas que, na minha opinião, só se pode comer em pequenas quantidades. Caso contrário, torna-se muito enjoativo.

E já agora, aproveitando o facto, de ser um doce confeccionado com muitos ovos, explico o porquê. dos doces daquela região, levarem, normalmente, muitos ovos:

Conta a história, que os produtores de vinho da região, clareavam o vinho com claras de ovo. Não sei qual seria o processo utilizado, mas parece que as claras serviam mesmo para clarear os vinhos. As gemas que sobravam, eram oferecidas aos conventos, que abundavam por lá.

E assim, surgiram as receitas conventuais, repletas de ovos!

Os frades, além de gulosos, eram muito criativos! E ainda bem! Deixaram-nos um legado de doces, de se lhe tirar o chapéu!

E agora, cá vai:

18 gemas + 6 ovos inteiros
500 gr de açúcar
2 dl de água
canela para polvilhar


Numa frigideira de ferro grandinha, (preferencialmente), leva-se o açúcar com a água ao lume, até fazer um ponto leve (ponto de fio).

Enquanto isso, batem-se muito bem os ovos com as gemas, de preferência com uma faca.

Assim que o açúcar estiver no ponto desejado, juntam-se os ovos, tendo o cuidado de ir deitando a partir do centro, em forma circular, até encher a frigideira.

Depois, enquanto o doce coze, vai-se picando muito bem com um garfo, por forma a cozer bem, todo ele, e fazer com que a calda de açúcar entranhe nos ovos.
Com uma espatula, vai-se afastando o rebordo do doce, para evitar que pegue à frigideira.

Demora cerca de 10 minutos a cozer.
Quando estiver com o aspecto de uma omeleta, está pronto.

Nota importante: deve ficar com calda! Não se deve deixar secar demasiado.

De seguida, polvilha-se com canela, e leva-se uns 5 minutos a forno forte, para alourar ligeiramante.

Escorre-se para um prato grande e fundo, e deixa-se arrefecer!
Está pronto.

Bom apetite!
cozinhado por Tia Rute tia rute às 15:51

link do post | Prove um bocadinho | favorito
|
4 comentários:
De olhovivo a 17 de Maio de 2005 às 16:56
AAAAAAAAAAAADDDDDDDDDDDDDDDDDDDOOOOOOOOOOOOOOOOORRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
De patupi a 17 de Maio de 2005 às 10:00
O meu fígado escondeu-se de tanto ovo!!! Raramente como ovos, de modo que doces com muitos ovos fazem o meu fígado fugir!
De Carla a 17 de Maio de 2005 às 00:51
Hummm, este doce é delicioso! Concordo com o que dizes, só se pode comer um bocadinho senão enjoa. Não sabia essa das gemas que sobravam, já aprendi algo mais hoje :)) Belos frades que inventaram as receitas conventuais, nham, nham! Beijo grande, amiga lindona!
De bonos de los casinos en linea a 24 de Abril de 2009 às 12:57
Ya he provado ese dulce pero no sabía como se llamaba y por eso no sabía, en mis viajes por Évora, como pedirlo si no estubiera a la vista. Muy delicioso...
Saludos.

Comentar post

.mais sobre mim

.Debicar neste blog

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.gulodices recentes

. Ameijoas à Bulhão Pato

. Esparguete com gambas

. Arroz

. Feijoada à transmontana (...

. Sobremesa de maçã

. Feijoada de marisco

. Tomates recheados

. Bacalhau saloio

. Manjar de príncipe

. Encharcada ou charcada

.Arcas frigoríficas

. Março 2008

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds